Você está aqui: Página Inicial / Olimpíadas / O Brasil nos Jogos / Montreal-1976

Montreal-1976

João do Pulo é bronze

Para os Jogos de Montreal, o paulista João Carlos de Oliveira, o João do Pulo , representava a maior esperança de uma medalha de ouro para o Brasil. Em 15 de outubro de 1975, durante os Jogos Pan-Americanos do México, o brasileiro havia conquistado o ouro no salto triplo com um incrível salto de 17,89m, que estabeleceu o novo recorde mundial com 45cm de vantagem em relação à marca anterior. Assim, com o status de ser o detentor da melhor marca de toda a história, João do Pulo desembarcou no Canadá como a principal estrela da prova. Infelizmente, ele não se encontrava, à época da competição, no auge da forma. Ainda afetado por uma cirurgia na barriga, a marca de 16,90m ficou bem abaixo de suas capacidades e, assim, ele acabou apenas com a medalha de bronze, sendo superado pelo norte-americano James Butts, prata com 17m18, e pelo soviético Viktor Saneyer, ouro com um salto de 17m29.

CBAt
CBAt # João do Pulo era a grande esperança brasileira para a medalha de ouro, mas terminou com o bronze
João do Pulo era a grande esperança brasileira para a medalha de ouro, mas terminou com o bronze


Conrad volta ao pódio
A vela é uma das grandes forças do Brasil em Olimpíadas. O caminho do pódios dos velejadores brasileiros foi aberto em 1968, na Cidade do México, pela dupla formada por Burkhard Cordes e Reinaldo Conrad, bronze na classe Flying Dutchman. Oito anos depois, em Montreal, desta vez ao lado do parceiro Peter Ficker, Reinaldo Conrad repetiu a dose, na mesma classe Flying Dutchmann, conquistando a segunda medalha da história da vela nacional em Jogos Olímpicos.

Quase lá
No Canadá, o Brasil ainda passou perto de ganhar medalhas no atletismo, na natação e no futebol. João do Pulo ficou em quarto no salto em distância, com uma marca de 8m (a mesma do francês Jacques Rousseau), apenas dois centímetros a menos do que o terceiro colocado, Frank Wartenberg, da Alemanha Oriental.

O Brasil obteve o mesmo quarto lugar em duas provas da natação, com Djan Madruga, nos 400m livre e 1.500m livre. O futebol também ficou a uma posição do pódio. Naquele momento, o Brasil já havia conquistado três títulos em Copas do Mundo, mas o time principal não podia defender o país, já que apenas atletas amadores podiam competir nos Jogos Olímpicos.

Classificação por total de medalhas

* João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, no salto triplo; e os velejadores Peter Ficker e Reinaldo Conrad, na classe Flying Dutchman, conquistaram as duas medalhas de bronze do Brasil