Você está aqui: Página Inicial / Olimpíadas / O Brasil nos Jogos / Melbourne - 1956

Melbourne - 1956

A consagração de Adhemar

Os Jogos que marcaram a realização das primeiras Olimpíadas no Hemisfério Sul tiveram, em Adhemar Ferreira da Silva, mais uma vez o grande nome da delegação brasileira. Depois do ouro quatro anos antes, em Helsinque, Adhemar continuou em plena evolução. Um ano antes das Olimpíadas de Melbourne, durante os Jogos Pan-Americanos da Cidade do México, ele estipulou o nove recorde mundial do salto triplo: 16m56. E, embora não tenha conseguido superar a própria marca na Austrália, cravou 16m35, garantindo o ouro pela segunda vez seguida na prova e estabelecendo um novo recorde olímpico. A medalha de Adhemar Ferreira da Silva foi a única do Brasil naquela edição dos Jogos e fez dele o primeiro bicampeão olímpico do país.

foto_1__adhemar_ferreira_da_silva__cbat.jpg
Foto: CBAt

Éder Jofre em quinto
A competição contou com a participação de um brasileiro que, se não se destacou tanto nas Olimpíadas, conquistaria alguns anos depois grande fama no Brasil e destaque no cenário internacional do boxe. Éder Jofre, que viria a se tornar campeão mundial dos pesos galo e pena, terminou os Jogos de Melbourne na quinta colocação.

Atleta solitária
A exemplo do que aconteceu em Los Angeles-1932, quando Maria Lenk foi a primeira e única mulher naquela delegação, em Melbourne o Brasil foi representado por apenas uma competidora: Mary Dalva Proença, que terminou em 16º nos saltos ornamentais, na prova de plataforma.