Você está aqui: Página Inicial / Olimpíadas / O Brasil nos Jogos / Atlanta-1996

Atlanta-1996

Recorde de pódios

Para o Brasil, os Jogos de Atlanta representaram um momento histórico. Foi na cidade norte-americana que o país, pela primeira vez, superou a marca de 10 medalhas conquistadas em uma mesma edição olímpica.

Fruto de um trabalho de preparação adequada dos atletas, que receberam grande apoio por parte do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) nos 15 meses que anteceder am a competição, vários esportistas chegaram aos Estados Unidos no auge da forma. E o resultado se traduziu em pódios.

O primeiro ouro das mulheres

Pela primeira vez em sua história olímpica, o Brasil viu seus atletas conquistarem, em uma mesma edição, três medalhas douradas. Nesse sentido, a competição em Atlanta foi particularmente especial para as mulheres. Afinal, com a inclusão do vôlei de praia, as atletas do país partiram com tudo à caça de pódios. E duas duplas brasileiras pisaram nas areias para disputar a final. Quando a disputa se encerrou, a vitória por 2 a 0, com parciais de 12/11 e 12/6, deu o ouro a Jacqueline Silva e Sandra Pires. A prata ficou com Mônica Rodrigues e Adriana Samuel. Jacqueline e Sandra se tornaram as primeiras campeãs olímpicas da história do Brasil.

Silvio Ávila/CBV

Silvio Ávila/CBV # Sandra Pires conquistou o ouro no vôlei de praia ao lado de Jacqueline

Sandra Pires conquistou o ouro no vôlei de praia ao lado de Jacqueline

Dois mitos

Também foi em Atlanta que o Brasil viu surgir, para valer, seus dois maiores atletas olímpicos de todos os tempos. Na vela, Torb en Grael, que já tinha no currículo duas medalhas (prata em Los Angeles-1984 e bronze em Seul-1988), finalmente chegou ao ouro na classe Star, acompanhado de Marcelo Ferreira.

O país foi ainda apresentado a um outro velejador especial: Robert Scheidt. Em sua primeira Olimpíada, Scheidt faturou o ouro na classe Laser e abriu o caminho de pódios que iria trilhar nas quatro edições seguintes.

Torben Grael encerrou sua carreira nos Jogos com cinco medalhas olímpicas, duas delas de ouro. É o mesmo número de medalhas que Robert Scheidt possui no currículo (também tem duas de ouro). Os dois são os maiores medalhistas olímpicos da história do Brasil.

CBVela

CBVela # Robert Scheidt comemora o ouro conquistado em Atlanta

Robert Scheidt comemora o ouro conquistado em Atlanta

Equipes femininas se destacam

O ouro no vôlei de praia feminino foi o grande momento das mulheres em Atlanta, mas não o único. No basquete, o time nacional, encabeçado por Hortência, Paula e Janeth, avançou à final e voltou para casa com a medalha de pra ta. O ouro ficou com os Estados Unidos, que venceram a decisão por 111 a 87. No masculino, o Brasil terminou em sexto lugar e assistiu à despedida de seu maior astro. Oscar Schmidt encerrou sua participação em Olimpíadas com incríveis 1.093 pontos marcados em cinco edições, recorde absoluto que o transformou no maior cestinha olímpico de todos os tempos. Seu uniforme foi para o Hall da Fama do basquete, como uma homenagem da Federação Internacional de Basquete (Fiba).

No vôlei, a Seleção feminina travou uma verdadeira batalha contra a Rússia na disputa pela medalha de bronze. A vitória por 3 a 2 coroou o trabalho de uma geração de talentos composta, entre outras, por Ana Moser, Ana Paula, Fernanda Venturini, Leila e Virna. O pódio abriu o caminho para que o Brasil viesse a se tornar bicampeão olímpico.

Sucesso nas piscinas e no hipismo

O sucesso do Brasil em Atlanta teve reflexos também na natação. Nos 50m livre, Fernando Sc herer, o Xuxa, ficou com o bronze. Já Gustavo Borges faturou o bronze nos 100m livre e a prata nos 200m livre.

Os Jogos de Atlanta também renderam frutos no hipismo, com uma geração de grandes cavaleiros. Filho de Nelson Pessoa, um dos maiores nomes do país na modalidade, Rodrigo Pessoa se juntou a Álvaro Affonso de Miranda Neto, André Johannpeter e Luiz Felipe Azevedo para conquistar a medalha de bronze na prova de saltos por equipe.

No futebol, o time de Rivaldo, Ronaldo Fenômeno, Bebeto, Dida, Aldair e Sávio perdeu a chance de disputar o ouro após uma derrota dramática para a Nigéria na semifinal. A goleada por 5 a 0 sobre Portugal garantiu a medalha de bronze. No feminino, a equipe terminou na quarta posição

Classificação por total de medalhas

* As medalhas de ouro foram conquistas pelo velejador Robert Scheidt, na classe Laser; pelos velejadores Marcelo Bastos Ferreira e Torben Schmidt Grael, na classe Star; e por Jacqueline Louise Cruz Silva e Sandra Tavares Pires, no vôlei de praia. A prata veio no basquete feminino; na natação (200m livre), com Gustavo França Borges; e no vôlei de praia, com Adriana Ramos Samuel e Mônica Rodrigues. O país ganhou o bronze no futebol masculino; no vôlei feminino; no revezamento 4x100m do atletismo, com Arnal do de Oliveira Silva, Robson Caetano da Silva, Édson Luciano Ribeiro e André Domingos da Silva; no hipismo, salto por equipes, com Álvaro Affonso de Miranda Neto, André Bier Johannpeter, Luiz Felipe Cortizo Gonçalves de Azevedo Cassiana e Rodrigo de Paula Pessoa; no judô, com Henrique Carlos Serra Azul Guimarães e Aurélio Fernandez Miguel; na natação, com Fernando de Queiroz Scherer, nos 50m livre, e Gustavo França Borges, nos 100m livre; e na vela, na classe Tornado, com Henrique Pellicano e Lars Schmidt Grael