Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Esquiador brasileiro sofre queda e não participará das duas primeiras provas em PyeongChang

Geral

06/02/2018 14h12

Jogos Olímpicos de Inverno

Esquiador brasileiro sofre queda e não participará das duas primeiras provas em PyeongChang

Michel Macedo lesionou o joelho esquerdo. Médico da delegação afirma que ele segue com chances de disputar o Slalom e o Slalom Gigante

michelmacedo3_christiandawesCOB.jpg
Michel Macedo detém quatro recordes brasileiros nas cinco provas do esqui alpino. Foto: Christian Dawes/COB

O esquiador brasileiro Michel Macedo sofreu uma queda durante os treinamentos desta terça-feira (06.02) em PyeongChang e não poderá participar das duas primeiras das quatro provas de esqui alpino nas quais está inscrito. Ele seria o primeiro atleta do país a estrear nos Jogos Olímpicos de PyeongChang, na Coreia do Sul.

Para se recuperar da melhor forma possível, a comissão técnica, junto ao chefe médico da missão, decidiu que Michel não participará das duas primeiras provas em que está inscrito, o Combinado, que será realizada no dia 13, e o Super-G, no dia 15. O atleta segue com chances de participar do Slalom Gigante, no dia 18, e do Slalom, no dia 22. Na Coreia do Sul, a modalidade será disputada no Jeongseon Alpine Centre e no Yongpyong Alpine Centre, com as primeiras classificatórias se iniciando no dia 8 de fevereiroe entrega da última medalha  no dia 24.

Após reclamar de dores no joelho esquerdo, Michel passou por exames médicos no Asan Hospital e foi constatada uma inflamação. O médico da delegação, Roberto Nahon, e o chefe da missão, Stefano Arnhold, anunciaram que ele será poupado para ter o tempo necessário para sua recuperação. "Já descartamos as provas de velocidade. Vamos dar tempo e trabalhar para que participe das provas técnicas", disse Arnhold. "Ele precisa de repouso por pelo menos três dias. Depois disso será reavaliado, com o objetivo de retomar aos treinamentos. Ele tem boas chances de participar das duas provas finais", explicou o Nahon.

Michel, de 19 anos, é o integrante mais novo da delegação brasileira. Ele nasceu em Fortaleza (Ceará) e se mudou com a família ainda criança para o estado de Oregon, nos Estados Unidos. Durante a temporada de verão no hemisfério norte, o Chile passa a ser o local de treinamento. Michel Michel ficou entre os 15 melhores no Super-G nos Jogos Olímpicos da Juventude Lillehammer, em 2016. Em 2017, ele quebrou quatro recordes brasileiros nas cinco provas da modalidade.

Pictogramas PyeongChang

» Entenda as provas de Esqui Alpino

Downhill
Cada atleta desce uma única vez, sozinho, a pista que tem inclinação entre 15 e 30 graus. A característica principal da prova é a alta velocidade, que pode atingir até 140 km/h. Quem descer no menor tempo fica com a medalha de ouro.

Slalom
Os esquiadores descem em ziguezague e precisam de muita técnica para passar entre as portas do percurso - são de 55 a 75 delas no masculino e 45 a 60 no feminino. A distância entre as portas variam de 75 centímetros a 13 metros. Cada atleta desce duas vezes, com tempos somados. A inclinação da pista é bem mais suave que no Downhill.

Slalom Gigante
A diferença para o Slalom é o percurso mais longo e as portas mais espaçadas, com 10 metros ou mais de distância entre elas.

Super-G
A inclinação é mais acentuada e as distâncias entre as portas são de pelo menos 25 metros, exigindo do atleta uma combinação técnica e velocidade para fazer as curvais mais longas. A prova é decidida pelo tempo de uma única descida.

Combinado
O evento inclui um downhill e uma descida de slalom no mesmo dia. As duas tentativas são somadas e a medalha de ouro vai para quem tiver o menor combinado.

esquialpino_shutterstock.jpg
Foto: Shutterstock

De PyeongChang (Coreia do Sul), Abelardo Mendes Jr - rededoesporte.gov.br