Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Canadá conquista o ouro por equipes na patinação no gelo

Geral

12/02/2018 09h00

Jogos Olímpicos de Inverno

Canadá conquista o ouro por equipes na patinação no gelo

Segunda colocação nos Jogos de PyeongChang fica com os atletas olímpicos da Rússia e o bronze vai para os EUA

Uma das modalidades que mais atrai atenções dos torcedores durante os Jogos Olímpicos de Inverno, a patinação no gelo já fez jus a toda a expectativa gerada em torno da modalidade na abertura da competição em PyeongChang, na Coreia do Sul. A fase final da disputa por equipes, que reuniu os cinco melhores da fase de classificação, reservou espaço para apresentações impressionantes e pontuações recordes. O título ficou com o Canadá, consistente durante todas as provas, com 73 pontos, à frente dos atletas olímpicos da Rússia (66) e dos Estados Unidos (62). A disputa reúne apresentações individuais masculinas e femininas nos programas curtos e livres e provas de dupla e de dança no gelo.

Equipe canadense comemora o ouro conquistado na Coreia do Sul: apresentações decisivas no individual masculino e na dança no gelo. Foto: Olympic.org

Individualmente, duas atletas olímpicas da Rússia "inflacionaram" o mercado. Campeã mundial em 2016 e 2017, Evgenia Medvedeva, de 18 anos, sobrou no programa curto e somou 81,06 pontos, quase seis à frente da segunda colocada na prova, a italiana Carolina Kostner. No programa livre, Alina Zagitova, de apenas 15 anos, acumulou 158,08 pontos, a mais alta pontuação da temporada, mais de 20 à frente de Mirai Nagasu, que representa os Estados Unidos e ficou na segunda colocação: 137,53.

"Eu estou muito feliz porque fiz o melhor que podia. É algo muito grande conseguir concluir dois quádruplos em um só programa"
Patrick Chan, integrante da equipe do Canadá

Para superar as russas e garantir o ouro, o Canadá contou com uma performance impressionante de Patrick Chan. O tricampeão mundial conseguiu concluir dois saltos quádruplos, de altíssima dificuldade, no início de sua série livre. Mesmo com pequenos erros depois, garantiu a primeira posição com a melhor pontuação da temporada: 179,75 pontos.

"Eu estou muito feliz porque fiz o melhor que podia", afirmou Chan. "É algo muito grande conseguir concluir dois quádruplos em um só programa. Vou segurar essa medalha bem pertinho de mim", completou o atleta, que integrou a equipe canadense que bateu na trave e ficou com a prata em Sochi, na Rússia, quatro anos atrás. Foi o primeiro título olímpico dele.  

Outras duas vitórias canadenses vieram na dança no gelo, tanto no programa curto quanto no programa livre. Tessa Virtue e Scott Moir foram os representantes em ambas. Eles fizeram apresentações limpas, perfeitas. Primeiro ao som de um mix de Sympathy for the Devil, dos Rolling Stones, Hotel California, dos Eagles, e Oye Como Va, de Carlos Santana. Eles somaram 80,51 pontos, à frente dos irmãos Maia e Alex Shibutani, dos EUA (75,46).

Para encerrar a competição, nova vitória da dupla canadense na rotina livre, ao som de duas faixas do musical Moulin Rouge. Eles acumularam 118 pontos, seis à frente dos irmãos Shibutani novamente. Ouro nos Jogos de Vancouver, em 2010, e prata em Sochi (2014), Tessa e Scott treinam juntos, praticamente de forma ininterrupta, desde 1997, quando ela tinha sete anos e ele, nove. Cumprem uma rotina média 30 horas semanais de prática em Montreal, no Canadá.

Brasil

O Brasil tem uma representante na patinação no gelo em PyeongChang. Isadora Williams, de 22 anos, vai disputar o programa curto e a rotina livre individual feminina, nos dias 21 e 23 de fevereiro. A atleta esteve nos Jogos de Sochi, na Rússia, em 2014, e se tornou a primeira brasileira a competir na patinação no gelo na história das Olimpíadas de Inverno. Lá, terminou em 30º. Em 2018, vai se apresentar ao som de Hallelujah, na performance de Kd Lang, no programa curto, e sob a trilha de Missão Impossível 2 na rotina livre.  

Fonte: rededoesporte.gov.br, com informações do Comitê Olímpico Internacional