Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Classificado para o Parapan, Claudio Massad quer brilhar em Lima

Tenis de mesa paralímpico

11/12/2018 15h49

Lima 2019

Classificado para o Parapan, Claudio Massad quer brilhar em Lima

Mesatenista recorda temporada de 2018, relembra as vitórias sobre atletas top 10 do ranking mundial e diz que sonha com o ouro no Peru e com a vaga para Tóquio 2020

Nesta terça-feira (11.12), a seletiva do Parapan de tênis de mesa, realizada no Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, definiu a equipe que defenderá o Brasil nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, em agosto do ano que vem.

Aos 33 anos, o paulista de Bauru Claudio Massad não precisou participar do torneio na capital paulista. Atual número 19 do ranking mundial, o mesatenista da classe 10 (para atletas com deficiências motoras leves ou amputação de membros superiores) conquistou, depois do Mundial da Eslovênia, em outubro, diversos bons resultados que lhe renderam um lugar na equipe do Parapan sem precisar da seletiva.

Foto: Roberto Castro/rededoesporte.gov.br
"A expectativa é trabalhar duro para conseguir o sonhado título individual no Parapan de Lima e, com isso, me garantir para os Jogos de Tóquio em 2020"
Claudio Massad, mesatenista paralímpico

Entre 13 e 24 de novembro, Massad disputou os Jogos Abertos do Estado de São Paulo. A competição em São Carlos era para atletas olímpicos e o bronze conquistado pela equipe da Associação Nova Era de Bauru garantiu ainda mais motivação para os eventos que ele teria pela frente.

Embalado, Claudio partiu para o Brasileiro em Concórdia (SC), disputado entre 27 de novembro e 2 de dezembro. Lá, ganhou 5 medalhas. Foram quatro ouros e uma prata. Na classe 10, tornou-se tetracampeão individual, tricampeão de seleções paralímpicas e tricampeão de duplas, ao lado de Jean Basílio. Na disputa com atletas olímpicos, Massad e Israel Stroh, medalha de prata no individual da classe 7 nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, foram campeões por seleções da categoria sênior acima de 30 anos. Fechando as conquistas, Claudio e Tiago Kakeya ainda levaram a prata nas duplas da categoria sênior.

"Com esses resultados, consegui uma pontuação que me classificou diretamente para os Jogos Parapan-Americanos de Lima e terminei o ano como o melhor do Brasil na classe 10 e na sênior, que é olímpica individual", frisa Claudio. 

O passo seguinte foi a disputa do Aberto da Costa Rica, entre os dias 5 e 8 de dezembro. Massad faturou o bronze no individual na classe 10 e a prata por equipe, nas classes 9 e 10, com Lucas Carvalho e Basílio Oliveira.

"Depois que passamos por Cuba na semifinal, enfrentamos a Rússia, que é um time forte, e perdemos por 2 x 1. Nós perdemos nas duplas, mas, no individual, eu enfrentei o Iurii Nozdrunov, que é o atual número 2 do mundo e atual vice-campeão mundial da classe 9. Eu ganhei por 3 x 1 e foi uma das maiores vitórias da minha carreira", recorda o mesatenista.

Após um fim de ano tão proveitoso, Massad perseguirá, em 2019, um sonho que alimenta há anos: disputar os Jogos Paralímpicos. Para isso, já tem roteiro traçado e, em Lima, espera realizar dois objetivo em um único evento. "A expectativa é trabalhar duro para conseguir o sonhado título individual no Parapan de Lima e, com isso, me garantir nos Jogos de Tóquio em 2020", revela. "Minha preparação vai ser toda em função disso. Também quero melhorar minha posição no ranking mundial. Vou fechar o ano entre os 20 melhores e vou trabalhar para ficar entre os 15 primeiros até o Parapan", avisa.

"A avaliação do ano foi boa. Ganhei 18 títulos, fora as medalhas de prata e bronze, em campeonatos olímpicos e paralímpicos. Ganhei de dois top 10 do mundo, do francês Mateo Boheas (atual número 9  da classe 10) no Mundial da Eslovênia e, na Costa Rica, ganhei do Iurii. Os dois devem estar nos Jogos de Tóquio 2020 e isso me dá confiança. Mostra que o trabalho que estamos fazendo em Bauru, com meu técnico Adilson Toledo, está sendo bem feito", finaliza Massad.

Luiz Roberto Magalhães - rededoesporte.gov.br