Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Delegação dos Jogos da Juventude recebe orientações sobre exames de dopagem

Geral

01/10/2018 17h36

Buenos Aires 2018

Delegação dos Jogos da Juventude recebe orientações sobre exames de dopagem

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem fez ação educativa com os jovens integrantes do Time Brasil antes da viagem para a Argentina
1 | 6
Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br
2 | 6
Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br
3 | 6
Igor Queiroz, que já havia participado de procedimentos antidopagem anteriormente, elogiou o trabalho de prevenção. Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br
4 | 6
Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br
5 | 6
Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br
6 | 6
Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br
rj2_rafalelbrais.jpg
rj1_rafalelbrais.jpg
rj4_rafalelbrais.jpg
rj7_rafalelbrais.jpg
rj5_rafalelbrais.jpg
rj6_rafalelbrais.jpg

Educar os atletas brasileiros que estarão nos Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires 2018 sobre os procedimentos de um exame de dopagem. Esse foi o objetivo da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) que, em parceria com Comitê Olímpico do Brasil (COB), montou uma estação de controle de doping no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, para atender os atletas que vão competir de 6 a 18 de outubro na capital argentina. A iniciativa, realizada no domingo (30.09) e na segunda-feira (01.10), detalhou o processo de controle de doping por meio materiais oficiais utilizados nos exames feitos pelas autoridades de coleta.

Os integrantes da delegação brasileira que vão para as Olimpíadas da Juventude estão reunidos no Rio de Janeiro até esta terça-feira (02.10) para uma espécie de aclimatação, que inclui eventos de concentração antes da viagem para a Argentina. Nesse período, os atletas treinaram em oito instalações esportivas espalhadas pelo Rio de Janeiro e participarão de palestras e atividades oferecidas pelo COB. O Time Brasil terá 81 atletas, com idade entre 15 e 18 anos, competindo em 25 modalidades.

De acordo com a coordenadora de Operações da ABCD, Maria Fernanda Carraca Frias, as informações são relevantes para os atletas, já que vão vivenciar constantemente os exames de dopagem em competições nacionais e internacionais. "Essa turma que esteve aqui teve a oportunidade especial de vivenciar uma estação fictícia, mas com todos os itens e componentes que existem de fato no controle de dopagem. Eles chegarão preparados e sem o receio de não conhecerem o procedimento", afirmou.

Durante a apresentação, Maria Fernanda e Lorena Rabelo, servidora da ABCD, explicaram aos atletas e dirigentes todas as etapas de um exame de doping, assim como detalhes sobre deveres e direitos dos esportistas, como o cuidado com o consumo de suplementos sem acompanhamento médico. "Eles terão a tranquilidade de passar pelo exame e vão saber identificar o que foi feito corretamente e o que não estava de acordo com as melhores práticas", disse Maria Fernanda.

A gerente de Cultura e Valores Olímpicos do COB, Carolina Araújo, destacou a importância da parceria, especialmente pelo fato de muitos atletas nunca terem passado por exame de dopagem. "Com essa parceria, nós encontramos uma ótima oportunidade de trazer essa informação e deixá-los melhor preparados caso eles passem por essa situação em Buenos Aires", elogiou.

Ela elogiou ainda a didática da simulação, que detalhou o passo a passo do procedimento do exame de doping. "Realmente acreditamos que ações educacionais como essa contribuem não só para a prevenção, mas também para que ele não cometa possíveis erros por falta de informações e estejam mais preparados caso sejam testados na competição", explicou Carolina.

O fato de já ter passado por três exames antidoping em competições internacionais fez de Igor Queiroz, atleta do wrestling, o voluntário perfeito para simular as fases que se passam dentro de uma estação de controle. "Essa iniciativa é correta porque não são todos os atletas que já passaram pelo antidoping. Na minha primeira vez, inclusive, me confundi. É meio complicado quando você nunca viu", disse. "Ter esse tipo de simulação é importante para o atleta chegar lá e fazer tudo certinho", analisou Igor.

rj4_rafalelbrais.jpg
Igor Queiroz, que já havia participado de procedimentos antidopagem anteriormente, elogiou o trabalho de prevenção. Foto: Rafael Brais/ rededoesporte.gov.br

Larissa Nascimento, atleta do taekwondo, teve contato com as minúcias do processo de exame de doping pela primeira vez. Para ela, a apresentação foi produtiva, pois preparou os ali presentes para uma prática que eles sempre estarão sujeitos a passar. "Esse conhecimento é muito importante para todo o atleta. Agora estou ciente das regras e isso vai diminuir a possibilidade de acontecerem erros. Ou melhor, não vão acontecer porque agora eu já sei", disse.

Defensores Dativos

A Estação de Controle de Dopagem montada no Parque Olímpico, onde fica o Maria Lenk, também serviu como ensinamento para defensores dativos, advogados voluntários que participam de julgamentos do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJAD). Na ação desta segunda-feira, o advogado Ricco Leonardo Mattos Bernardo esteve no estande da ABCD para participar do trabalho educacional sobre o controle de doping. "Muito interessante. Não achei que seria tão agregador. Elas conseguiram resumir o tema e, ao mesmo tempo, falar de uma forma muito ampla", elogiou.

Bernardo já teve contato com a parte teórica em um curso de pós-graduação. Porém, explicou ele, a parte prática é estratégica para ser acompanhada. "É importante tanto para os defensores, que não sabem da parte prática, só da teoria, quanto para os atletas. Muitas vezes vemos que os atletas não têm noção do direito, dos deveres e dos riscos que correm ao usar substância que são proibidas. Muito bom, muito interessante", completou.

Rafael Brais - rededoesporte.gov.br