Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Aos 17 anos e após já ter feito história no vôlei de praia, Duda sonha com os Jogos de 2020, em Tóquio

Volei de praia

25/11/2015 11h31

Vôlei de praia

Aos 17 anos e após já ter feito história no vôlei de praia, Duda sonha com os Jogos de 2020, em Tóquio

Jogadora será uma das atletas que carregarão a Tocha Olímpica durante o revezamento do símbolo olímpico pelo Brasil, a partir de maio de 2016

Nascida em Aracaju, em uma família apaixonado por vôlei de praia, Eduarda Santos Lisboa, a Duda, acompanhará os Jogos Olímpicos Rio 2016 longe das areias da Arena de Vôlei de Praia, em Copacabana, palco da modalidade durante a competição do ano que vem na capital fluminense. Mas isso não quer dizer que ela não dará sua contribuição para as Olimpíadas no Brasil.

Na terça-feira (24.11), Duda esteve em Brasília, onde participou de um evento na casa da Coca-Cola que marcou a assinatura de um termo de apoio institucional do Ministério do Esporte à empresa que visa ampliar a promoção da prática esportiva no Brasil tendo como principal motivador os Jogos Rio 2016.

1130GettyImages456071023.jpg
Duda: talento precoce e títulos mundiais aos 17 anos. Foto: Steve Haag/Getty Images

Durante o encontro, que contou com a presença do ministro do Esporte, George Hilton, e do vice-presidente da Coca-Cola para os Jogos Olímpicos Rio 2016, Flávio Camelier, Duda foi apresentada como uma das beneficiadas pelos programas Bolsa Atleta e Segundo Tempo que foram escolhidos pela Coca-Cola para participar do Revezamento da Tocha Olímpica no Brasil. Assim, a sergipana terá a honra de carregar um dos símbolos mais importante dos Jogos do Rio  quando a chama olímpica passar por seu estado em 2016.

“Foi a minha mãe quem me falou que eu tinha sido uma das escolhidas para carregar a Tocha Olímpica. Fiquei sabendo há uma semana, mais ou menos. Foi emocionante demais. É a primeira vez que isso vai acontecer no meu estado e vai ser uma experiência única fazer parte desse momento”, comemorou a atleta.

Nascida em 1º de agosto de 1998, Duda é um talento precoce das areias. Inspirada pela mãe, a ex-jogadora de vôlei de praia Cida, ela começou cedo no esporte, aos 9 anos. Aos 12, disputou uma etapa do Campeonato Estadual em Aracaju e o quinto lugar foi um indicativo de que a barreira da pouca idade não seria problema para que ela logo chegasse aos pódios. E foi exatamente isso o que aconteceu.

Em 2013, apenas dois anos depois daquele torneio em Aracaju, Duda deu provas incontestáveis de que era diferenciada. Com apenas 15 anos, ela se tornou a primeira jogadora da história a disputar, em uma mesma temporada, os três Campeonatos Mundiais das categorias de base. O resultado? Ao lado de Tainá sagrou-se campeã mundial da categoria sub-19 e, ao lado de Thais, foi vice-campeã mundial na sub-23.

Um ano depois, após ter sido convocada pela primeira vez para a Seleção Brasileira adulta, disputou novamente o Campeonato Mundial sub-19 e chegou ao bicampeonato, desta vez atuando ao lado de Andressa. Com isso, tornou-se a primeira jogadora do vôlei de praia a vencer a competição por duas vezes. Ainda em 2014, Duda embarcou para a China, onde, ao lado de Ana Patrícia, faturou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude, disputados em Nanquim. Foi nesse evento que ela vislumbrou pela primeira vez o que deve ser fazer parte dos Jogos Olímpicos.

760DudaFranciscoMedeirosME.jpg
Duda, com a tocha olímpica: jogadora carregará o símbolo dos Jogos durante o revezamento em 2016. Foto: Francisco Medeiros/ME

“Foi a mesma estrutura das Olimpíadas adulta”, recordou Duda. “Aquele convívio com pessoas de outras culturas foi inesquecível. Esse campeonato foi o ápice das categorias de base. Ter conquistado esse título foi motivo de muito orgulho”, continuou.

Ciente de que o sucesso nos últimos anos representa apenas uma etapa do caminho que ela sonha trilhar, Duda entrará em 2016 com o pensamento voltado para o futuro. “O nosso foco está em 2020”, adiantou, referindo-se aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Até lá, o convívio dentro e fora das areias com atletas como Larissa e Talita e Ágatha e Bárbara Seixas, que formam as duplas femininas que defenderão o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, ajuda muito.

Eleita revelação do Circuito Banco do Brasil 2013/2014, Duda, ao lado de sua parceira atual, Elize Maia (31 anos), deu mais uma prova de sua capacidade há um mês, na etapa de Goiânia do Circuito Brasileiro de vôlei de praia. As duas avançaram à final e disputaram o título contra Larissa e Talita. Larissa foi eleita, nesta temporada, a melhor jogadora de vôlei de praia mundo e ainda levou o prêmio de melhor jogadora ofensiva. Talita não ficou atrás e levou o prêmio de melhor ataque.

Mas apesar de toda a força das rivais, Duda e Elize Maia venceram de virada, por 2 x 1, e encerraram uma sequência de 42 jogos sem perder de Larissa e Talita. “Jogar com Larissa, Talita, Ágatha e Bárbara e outras grandes jogadoras do circuito é algo muito importante para mim. O negócio é jogar feliz, sem pressão. Estou treinando hoje já pensando em Tóquio. Estive em Tóquio no ano passado e gostei muito. Fiquei pensando que eu voltaria ali para os Jogos Olímpicos em 2020”, revelou Duda, que mais uma vez fez história em Goiânia ao se tornar a jogadora mais jovem a vencer uma etapa do circuito nacional.

Pés no chão

Apoiada pela Bolsa Atleta, na categoria internacional, Duda reforça a importância do programa para todos aqueles que sonham em, como ela, defender o país nos Jogos Olímpicos. “Todo o atleta tem que ter esse apoio para ajudar nos custos de viagens e alimentação. Com esse apoio a gente se sente mais confiante. Quando a gente viaja para os Mundiais, as passagens são muito caras. Esse dinheiro ajuda muito e a gente fica preocupada só com a competição mesmo”.

Duda e Elize Maia no topo do pódio da etapa de Goiânia do Circuito BB: atleta mais jovem da história a erguer um troféu do circuito nacional. Foto: CBV

Tida como a maior revelação do vôlei de praia brasileiro dos últimos anos, Duda não se deixa deslumbrar. “Minha mãe foi jogadora e com o convívio com ela eu fui amadurecendo”, explicou. “Graças a Deus tenho uma família bem estruturada para me ajudar”.

Duda completará 18 anos quando a contagem regressiva para a cerimônia dos Jogos Olímpicos Rio 2016 chegar a 4 dias (o evento começa em 5 de agosto). Quando celebrar seu próximo aniversário, o Brasil e o mundo estarão de olho na capital fluminense. Duda estará na torcida por Larissa e Talita e Ágatha e Bárbara Seixas e também pelos demais atletas do país. E, quem sabe, quatro anos depois, será a vez de os brasileiros torcerem por ela em Tóquio.

Quem é ela

Nome: Eduarda Santos Lisboa
Nascimento: 1º/8/1998
Local: Aracaju (SE)
Altura: 1,80m
Peso: 73Kg
Parceira atual: Elize Maia

Principais resultados

» Bicampeã mundial Sub-19 em 2013 e 2014 (Porto, Portugal)
» Campeã dos Jogos Olímpicos da Juventude em 2014 (Nanquim, China)
» Vice-campeã mundial sub-23 em 2013 (Myslowice, Polônia)
» Terceira colocada do Open de Praga do Circuito Mundial 2015
» Medalha de bronze nos Jogos Sul-Americanos 2014
» Campeã do Mundial Escolar em 2013 (Manfredonia, Itália)
» Campeã da etapa de Goiânia (GO) do Circuito Brasileiro 2015/2016; Bronze na etapa de Bauru (SP)
» Eleita revelação do Circuito Banco do Brasil 2013/2014

Luiz Roberto Magalhães – brasil2016.gov.br