Você está aqui: Página Inicial / Megaeventos / Olimpíadas Rio 2016 / Modalidades / Ginástica de Trampolim

Ginástica de Trampolim

História

O uso de camas elásticas para execução de exercícios físicos foi transformado em esporte pelo norte-americano George Nissen, que baseou sua invenção na cama elástica usada em circos. Em 1936, George, que era ginasta, construiu um aparelho desmontável e, com ele, percorreu os Estados Unidos organizando torneios esportivos e aproveitando para vender sua invenção.

pan_18out11_trampfem4_2__ricardo_bufolincbg.jpg
Foto: Ricardo Bufolin/CBG

O que George jamais poderia imaginar era que, cerca de uma década depois, após a Segunda Guerra Mundial, sua invenção, aliada aos exercícios que proporcionava, seria amplamente usada com fins militares pelos exércitos norte-americano, soviético e francês. À época, os exercícios em camas elásticas eram usados para o treinamento de paraquedistas, pilotos de avião e até mesmo astronautas. O aparelho permitia preparar os militares para os loopings que poderiam ocorrer em aviões ou em casos de quedas de aeronaves. O uso das camas elásticas com esse fim continuou por muitos anos e só foi abandonado na década de 1980, com a introdução de simuladores.

As camas elásticas se popularizaram pelo mundo na década de 1950, tanto que a prática da ginástica de trampolim só não fez parte das Olimpíadas de 1980, em Moscou, por conta de uma tragédia ocorrida à época, quando uma ginasta sofreu uma queda e ficou tetraplégica. A influência negativa do acidente e o medo de que algo parecido pudesse afetar a imagem das Olimpíadas fez com que o Comitê Olímpico Internacional (COI) adiasse durante anos a admissão da modalidade no programa olímpico.

Em 2000, finalmente a ginástica de trampolim passou a integrar o programa olímpico, em Sydney. Para isso ocorrer, no entanto, a Federação Internacional de Trampolim, nascida em 1964, teve que ser absorvida pela Federação Internacional de Ginástica (FIG), o que aconteceu em 1999.
 
Curiosidades

De meias?
Os atletas da ginástica de trampolim não podem competir descalços. Durante as apresentações, eles devem usar meias ou sapatilhas de ginástica.

Acesse também

Confederação Brasileira de Ginástica (CBG)
Site: www.cbginastica.com.br
E-mail:
Federação Internacional de Ginástica (FIG): www.fig-gymnastics.com